21 de abril de 2019 - domingo

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Xadrez
12-04-2019 | 20h25
Contra “incoerência”, Daniel descarta aliança com PSDB
Leia análises políticas de Rubens Salomão feitas especialmente para 'O Hoje'

Rubens Salomão

O ex-deputado federal e presidente regional do MDB descarta a possibilidade de aliança do partido com o PSDB, para o trabalho de oposição ao governo de Ronaldo Caiado (DEM) ou mesmo para as eleições municipais de 2020, como já aventado neste ano pelo líder dos tucanos na Assembleia Legislativa, Talles Barreto, e o ex-governador Maguito Vilela. Para Daniel, a união significaria a renúncia da luta realizada pelo partido durante 20 anos de oposição aos governos do ‘tempo novo’. “Não. Sempre fomos críticos ao PSDB e não vamos rasgar nossa coerência da noite para o dia dessa forma”, define. O dirigente ainda aponta que os questionamentos feitos pelo emedebistas agora se provam reais, depois do fim da hegemonia de Marconi Perillo. “O governo do PSDB está pagando pelos seus pecados. Toda semana tem operação policial em relação aos atos cometidos por eles. Acho também que o PSDB vai passar por um processo de depuração, como disse o Talles nesta semana. Se o partido se apegar ao passado, vai acabar”, avalia.

Bateu o fio

E como rodou o destaque desta coluna com a avaliação de que “Marconi está no passado do PSDB”, com cita Daniel. As viúvas do ex-governador saíram do túmulo e mostraram insatisfação interna com o enterro de Perillo.

Concorrentes

A avaliação foi feita pelo candidato à presidente tucano, Talles Barreto. Depois disso, Jardel Sebba passou a se posicionar mais pela defesa do “legado tucano” no estado e o prefeito Carlão, de Goianira, se reanimou para a disputa.

 

Responsabilidades

Enquanto prefeitos da região metropolitana de Goiânia, vereadores, deputados e técnicos da CMTC debatem um novo formato para a gestão do transporte coletivo, o governador voltou a defender que cada ente relacionado ao tema assuma suas responsabilidades. E que, neste sentido, o Governo Estadual de fato deveria se distanciar do processo. “É uma região que passa a decidir as suas prioridades e planejar as suas soluções, com gerenciamento específico daquelas cidades que compõem aquela metrópole”, avalia. De acordo com o governador existe acúmulo de poder junto a Goiânia e que a governança deve solucionar uma melhor distribuição. “No momento em que os prefeitos decidem, a metrópole e os demais prefeitos também organizam aquilo que é prioritário. O Estado de Goiás, tem a obrigação de cuidar do transporte na parte de fiscalização”, pontua. “Governos anteriores criaram órgão sobre a tarifa, muito mais por fatores não republicanos do que realmente para resolver o problema do transporte”, ressalta.

CURTAS

Debate – Caiado afirma que as conversas sobre o transporte devem resultar em avanço e confirma abertura para as deliberações com a participação do governo.

Convite – “Convido todos os prefeitos para debatermos esses assuntos com a Câmara de Vereadores e mostrarmos que cada um tem a sua obrigação”, sugere.

Mundo nerd – Goiânia recebe neste fim de semana, no Sesc Faiçalville o maior evento Geek do Estado: o Sesc Geek, com eventos voltados ao público. 

Investimento

O governo estadual deve enviar à Assembleia Legislativa Projeto de Lei para obrigar a Enel Distribuição Goiás, a não mais usar créditos outorgados para quitar seus compromissos com o Estado.

Direto

“Depois desse silêncio de todos os anos do governo que não tomava nenhuma iniciativa e permitiu a entrada de uma empresa que não dá nenhuma satisfação ao povo goiano e aos empresários”, adianta o governador Ronaldo Caiado.

Mãos aos céus

O fim da greve da Educação foi alvo de comemoração no governo. Palacianos entendem que a decisão da categoria representou vitória da gestão. Os profissionais devem retornar para as salas de aula nesta segunda-feira (15).

Economia

Passado um mês do decreto presidencial que extinguiu 21 mil cargos comissionados, funções e gratificações da esfera federal, principalmente na área de educação e ensino superior, o governo de Jair Bolsonaro anunciou o fim de outras 13.231 vagas.

Nova leva

Desta vez, a tesoura ataca cargos efetivos da administração pública federal que já estão vagos ou que devem vagar nos próximos meses.

Qualificação

De abril a junho, oito municípios goianos vão receber um circuito de palestras sobre inovação e tecnologia na moda promovido pelo Sebrae e o Instituto de Inovação e Parque Tecnológico (Gyntec). As inscrições para o workshop são gratuitas. 

(62) 3095-8700