Sábado, 15 de junho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Em visita a Goiânia, Ministro da Saúde junto com Ronaldo Caiado entregam 55 leitos ao Hugol

Postado em: 12-04-2019 as 12h30
Destes, 45 são para enfermarias e 10 para UTI. O governador reforçou que saúde de qualidade será um marco em sua gestão

Jefferson Santos

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) e o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandettta, estiveram na manhã desta sexta-feira (12) no Hospital de Urgências Governador Otávio Lages de Siqueira (Hugol), na Região Noroeste de Goiânia, para anunciar melhoras na saúde goiana. Na ocasião, foram entregues mais 55 leitos ao hospital, destes, 45 de enfermarias e dez de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A ativação dos leitos faz parte das medidas adotadas por Caiado para desafogar o Hospital Materno Infantil.

Durante a visita foram assinadas duas portarias no total de R$ 149 milhões, que serão destinadas à saúde do estado. Sendo, RS 85,4 milhões a custo de médio e de alta complexidade e outra no valor de R$ 49,8 milhões, para outros custos divididos em 12 meses.

Caiado reforçou que a saúde será um marco na gestão dele. "É mais que desafogar. No dia da minha posse, eu vi a situação calamitosa do Materno Infantil e desde então eu não parei um minuto: leiloei carro de luxo para comprar medicamentos. Hoje é um dia especial para o governo de Goiás! Em 102 dias aumentamos em 50% os atendimentos do Materno Infantil, com o padrão do ‘Governo Ronaldo Caiado’. A qualidade da saúde será uma marca forte no nosso governo", disse.

De acordo com o governador, a autoridade segue fazendo o que foi proposto na época da campanha, além de deixar claro que vai melhorar a situação do Materno Infantil. "Estamos fazendo a nossa tarefa, temos que mostrar o que temos agora. Durante os mais de cem dias, tivemos o apoio da nossa bancada, dando qualidade e atendimento a todos. Faremos um Materno Infantil digno para as pessoas verem como se faz saúde no estado de Goiás", reiterou, Caiado.

O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandettta, disse durante coletiva de imprensa que recebeu uma ligação do governador relatando a situação do Materno, e a calamidade financeira que passava o estado. "Fizemos o planejamento de curto e médio prazo para garantir os recursos e para conseguir fazer a aquisição dos equipamentos de alta complexidade: são bombas de infusão, respiradores para crianças, equipamentos que oferecem condições para fazer cirurgia cardíaca congênita, e outras cirurgias de alta complexidade. Fornecendo, assim, condições para os médicos trabalharem dignamente", relatou o ministro.

Obras paradas e hospitais novos

Questionado sobre a atual situação do Estado de Goiás, a cerca da quantidade de obras paradas, Ronaldo Caiado reforçou que as obras paradas eram apenas "obras de política". O governador aproveitou a oportunidade para também anunciar novas instalações na área da saúde. "Nós temos algumas obras inacabadas, cerca de 400 no estado de Goiás. Eram exatamente obras de período eleitoral, começava na eleição e terminava dois meses após. Nós vamos recuperar, vamos ampliar o atendimento regional, vamos abrir a policlínica na cidade de Santa Terezinha de Goiás para atender o nordeste goiano. Vamos chegar ao final do governo com 17 policlínicas instaladas, oferecendo qualidade e saúde a toda população do estado", finalizou o governador.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar