Sábado, 15 de junho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Política

Governo baixa decreto para definir fim do Goiás na Frente

Postado em: 11-04-2019 as 18h20
Rubens Salomão

O governador Ronaldo Caiado (DEM) assinará e publicará nos próximos dias um decreto para apresentar medidas detalhadas sobre os convênios assinados pelos ex-governador Marconi Perillo e José Eliton (ambos do PSDB), na formação do programa “Goiás na Frente”. Diferente do alardeado à época, o governo não conta com recursos para continuar os investimentos nos 221 municípios, com 395 contratos. Foram prometidos R$ 500 milhões aos prefeitos, mas apenas R$ 166 milhões foram pagos e só quatro cidades finalizaram as parcelas. O impacto é de 312 obras paradas em todo o estado, mas 249 delas têm menos de 50% dos trabalhos realizados. A Secretaria de Governo realiza as avaliações com auxílio da Procuradoria-Geral do Estado. “Vamos definir, caso a caso, aqueles que tiveram aplicabilidade do dinheiro público. Com isso, dar encaminhamentos de finalização, manutenção ou municipalização da obra”, conta o secretário Ernesto Roller. A tendência é que a maioria dos contratos seja encerrada e as obras passadas diretamente aos prefeitos.

Teste prioritário

O governo pretende mesmo colocar sua base à prova com o enviou do projeto de segunda parte da reforma administrativa dentro de pacote à Assembleia Legislativa. Oficialmente, caiadistas trabalham com número entre 25 e 28 aliados, dos 41.

Estimativa

Diferente da primeira parte, o novo projeto efetivamente causará economia aos cofres públicos. A extinção de cargos e gratificações, além da unificação da legislação sobre servidores deve resultar em redução de R$ 150 milhões por ano.

 

 

 

Marca a definir

Apesar do forte discurso governista de defesa da ética e combate à corrupção, o deputado aliado, Cairo Salim (PROS), aponta que os atuais 101 dias de administração ainda representam pouco tempo para se definir a marca da gestão de Ronaldo Caiado (DEM). Ao garantir apoio ao democrata nas pautas a serem apresentadas à Assembleia Legislativa, o deputado considera que a forma de articulação com o Executivo foi alterada em comparação à prática adotada pelos governos do PSDB. “O governador Ronaldo tem um estilo próprio, forte. Obviamente, os resultados serão vistos durante o governo. É difícil ainda a sociedade vem uma grande mudança, mas, com o tempo, as pessoas vão a marca dele”, define o parlamentar em resposta à tantas críticas realizadas por opositores na tribuna da Casa, durante a última sessão ordinária. “Ele tem implantado medidas administrativas para redução de gastos e uma reengenharia para então conseguir governar uma máquina pesada e deficitária. É complicado se for sem o apoio do parlamento. Eu vou ajudar”, garante.

CURTAS

Dois por cento – Dos 100 mil eleitores que podem ter o título cancelado em Goiás, apenas 2.538 buscaram o TER para regularizar a situação. Prazo vai até 6 de maio.

Saúde – O HUGOL recebe às 8h30, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para visita e inauguração de novos leitos destinados ao atendimento infantil.

Santo de casa – A indicação de Mandetta teve participação direta de Caiado, que ativa hoje mais 55 leitos pediátricos para desafogar o Hospital Materno Infantil.

 

 

Comemoração

A base do governo estadual impôs ontem derrota à oposição, liderada por Talles Barreto (PSDB), na CCJ. Sem votos para aprovação, o tucano foi obrigado a retirar emenda em que buscava aumentar o orçamento impositivo para 2020.

Segue a luta

Talles, no entanto, ainda vê fragilidade na base caiadista, principalmente no plenário em possível votação secreta. Emendas em 1,2% da receita corrente líquida ainda serão votadas em PEC do próprio Talles, sob relatoria de Henrique Arantes (PTB).

Tudo certo

Arantes ainda negocia com o governo a composição da base: “Estamos conversando”, resume. Mas é favorável ao aumento do impositivo e garante relatório, daqui duas semanas, favorável ao pedido da oposição.

Calma lá

O governador Ronaldo Caiado tem de fato a intenção de realizar reunião na Alego com deputados antes da apreciação da nova reforma administrativa, mas a conversa deve ficar para depois do feriado da semana santa.

Atarefado

“Teremos um feriado, a ida do governador na quinta-feira para a Cidade de Goiás, para acompanhar a procissão do fogaréu, depois tem domingo de páscoa. Então, acredito que a reunião será na outra semana ainda”, prevê o líder Bruno Peixoto (MDB).

Pode ser

Questionado sobre a informação antecipada pela Xadrez, de que pode ser candidato à presidente metropolitano do MDB, Bruno responde: “só o tempo dirá”. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar