22 de março de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Xadrez
12-03-2019 | 17h50
Transporte: governo estadual não quer “fugir” do desgaste
Rubens Salomão

O governador Ronaldo Caiado (DEM) deve enviarna próxima semana projeto de Lei para a Assembleia Legislativa para, além de retirar da AGR a função de autorizar anualmente o aumento da tarifa, definir a saída dos atuais dois representantes do governo estadual que hoje tem assento e voto na Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo. A retirada é confirmada pelo presidente da Agência Goiana de Regulação, o ex-delegado da Polícia Civil, Eurípedes Barsanulfo. “O pensamento é nós sairmos do processo. É a orientação do governador Ronaldo Caiado e da área jurídica. Avaliação é que não temos ingerência no sistema de transporte, que é matéria do município”, define. Apesar da definição do Palácio das Esmeraldas, a questão voltará a ser debatida em reunião entre o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), e o próprio Caiado nesta sexta-feira (15). “Não é pra evitar o desgaste político. O estado, por si só, da forma como encontramos, já é um desastre político. Estamos tentando, aos poucos, colocar ordem na casa. Não vamos fugir”, contemporiza Barsanulfo.

Projeto antigo

Ao garantir que o estado não fugirá da responsabilidade de buscar melhorias para o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia, o presidente da AGR volta a defender a implantação de VLT no Eixo Anhanguera.

Viabilidade

O projeto foi lançado pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que acabou desistindo da ideia por não encontrar financiamento público ou privado para a obra. “Se tiver viabilidade econômica e recurso federal, será uma obra de porte”, diz.

Líder defende tom adequado

A líder do governo no Congresso Nacional, deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), defende que o presidente Jair Bolsonaro deverá baixar o tom de suas publicações nas redes sociais quando for a hora. A deputada é apontada como principal articuladora do Planalto entre os congressistas e não avalia como ataque as publicações feitas nas redes sociais oficiais do presidente contra a imprensa. “Ele vai falar para a população como um todo e não só para os conservadores que o elegeram, mas nenhum conteúdo significa agradar o país inteiro. Sempre vai haver grita de um lado. Acho que há tempo para todas as coisas e chegará o tempo de baixar o tom”, acredita a deputada mais votada da história do Brasil. A aliada também defendeu a publicação de um vídeo obsceno na conta pessoal de Bolsonaro durante o Carnaval. “O eleitor do presidente é conservador, ele não pode deixar de falar com essas pessoas’, afirmou. Joice ganha protagonismo na articulação, em detrimento da atividade do líder na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO).

CURTAS

Mês da mulher – O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) confirma aumento no número de casos de feminicídio no Brasil nos últimos três anos.

Números – A agência CNJ de notícias revela que, só em 2018, o aumento foi de 34% em relação a 2016, passando de 3.339 casos para 4.461.

Autodidatas – Goiânia sedia o 2° Encontro de Artistas Naïfs do Centro-Oeste, na Vila Cultural Cora Coralina, de 14 de março a 6 de abril, das 10h às 22h. 

 
(62) 3095-8700