24 de maio de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Política
12-03-2019 | 06h00
Caiado ressalta combate a crime de “colarinho branco”
Governador afirmou que Plano de Ação da Segurança Pública, lançado em Goiás, vai ajudar a combater a corrupção de agentes públicos

Suzana Meira*

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (Democratas), afirmou nesta segunda-feira (11) que Goiás vai combater a corrupção dentro dos órgãos públicos, crimes cometidos pelos chamados “colarinhos brancos”, termo informal para se referir aos agentes públicos que praticam delitos financeiros. O modelo de enfrentamento à criminalidade foi apresentado pelo Secretário Nacional de Segurança Pública, General Guilherme Theophilo, que destacou que as diretrizes do programa prevêem investimentos em tecnologia e aparelhamento das polícias, melhorias na educação, saúde, e até na geração de empregos. 

Segundo Caiado, o plano apresentado pelo general - que atualmente coordenada todos os secretários de Segurança Pública do país - ocasiona um método que terá uma maior convergência na área da informação, e que proporcionará mais preparo para a polícia civil, militar e o corpo de bombeiros.

“Na área da informação, onde é fundamental o avanço, teremos delegados mais preparados na área de combate ao colarinho branco e todas as práticas de corrupção dentro de órgãos públicos. É uma vertente que preocupa o governo federal e tem total sintonia com a nossa preocupação também”, afirmou o governador.

O governador ressaltou também, que o estado de Goiás, está aberto para compartilhar as informações necessárias com o governo federal e ao mesmo tempo receber deles os projetos para qualificar a polícia do estado.

Caiado disse esperar mais avanços nas áreas de tecnologia e informação. “Uma das propostas que o general defende e eu estou de acordo, é o apoio entre todos os governadores, para que tenhamos a liberdade de avançar em outros territórios, de outros estados, no momento em que estivermos perseguindo quadrilhas, por exemplo. Dessa forma, vamos ter mais sintonia e harmonia nas ações dos nossos policiais militares e civis”, explicou.

Além disso, o democrata também criticou ao general Theophilo a burocracia que os governantes lidam para ter acesso ao repasse da União para a segurança pública. “É um pedido que já fizemos para o Ministro Moro, e hoje levamos o assunto para o general. É necessário ter um repasse fundo a fundo, para que a Segurança Pública tenha condição de avançar mais, seja na construção de presídios, na aquisição de armamentos, ou na condição de treinar nossos policiais. Dessa forma, teremos mais celeridade e inibiremos essa burocracia que tem dificultado o avanço em nossa segurança”, argumentou.

A previsão dada pelo secretário é que o plano comece a ser implantado em junho. “Estamos realizando primeiro o reconhecimento das áreas e indo a cada município. Às vezes, temos que fazer alguns ajustes, até porque o próprio governador tem mais experiência diante destes dados atualizados. Assim, passamos a trabalhar em conjunto, em nível federal, estadual e municipal”, explicou.

Além disso, Theophilo disse que o Plano de Segurança Pública é o “carro chefe” do Ministério da Justiça e tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro. “Goiás foi escolhido como representante da região Centro-Oeste. Visualizamos todos os dados estatísticos dos crimes violentos em Goiânia e do estado de forma geral. Temos o apoio político do governador, do secretário e do município por meio do prefeito”. 

 

Plano será prioridade do Ministério da Segurança 

Guilherme Theophilo explicou que o Plano Nacional de Enfrentamento aos Crimes Violentos será o carro chefe do Ministério da Justiça, e que, “com o apoio do presidente Bolsonaro foram escolhidos cinco municípios, um em cada região, e Goiás representa aqui a Região Centro-Oeste, escolha motivada pelo apoio político que nós estamos tendo do governador”. O secretário anunciou que no dia 15 de março será inaugurado o Sistema Nacional de Estratégia de Segurança Pública (Sinesp), que vai integrar todos os estados da Federação e o Distrito Federal.

Segundo ele, o Plano de Segurança é interministerial. Portanto, engloba a educação, a saúde, a geração de empregos, e o desenvolvimento regional, além da própria segurança pública. “É um plano que vai fazer uma força tarefa de todos os órgãos federais, estaduais e municipais. Vai permitir que o estado retome áreas que ele perdeu”, afirmou o secretário.

Sobre o projeto, disse ainda que será um exercício em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, Civil, Científica e Militar. “Assim poderemos reestabelecer o clima de segurança. Posteriormente, teremos uma parte socioeducativa. Iremos recuperar escolas, creches e unidades de pronto atendimento em saúde. Essa ação se tornará um protocolo geral aplicável em todo país”, esclareceu.

Por fim, o secretário informou que no próximo dia 15 de março será inaugurado o Sistema Nacional de Estratégia em Segurança Pública (SINESP). “Pela primeira vez, estamos integrando todos os estados da federação, no fornecimento de estatísticas. Não dependeremos do atlas da violência”, concluiu o secretário de Segurança Pública.

Combate à violência em Goiás

O resultado do trabalho integrado das forças de segurança do Estado e do serviço de inteligência resultaram, nos primeiros 60 dias de governo Ronaldo Caiado, na redução dos registros de homicídios, estupro, tentativa de homicídio, roubo de veículo, roubo a comércio e furto de veículo. Os números de tentativas de homicídio e de roubos a transeuntes, de veículos e comércios também atingiram o menor patamar registrado durante o mês de fevereiro, se considerados os últimos cinco anos.

As operações policiais saltaram de 1,2 para 1,7 mil de 2018 para 2019. O governador destacou o exitoso trabalho das polícias em operações que desarticularam 12 quadrilhas, a apreensão de 100 quilos de explosivos e 36 armas de grosso calibre.

Rodovias

O governador também voltou a falar sobre a situação das rodovias que cortam o Estado. No fim de semana, a GO-060 foi interditada, após o rompimento de um bueiro, que destruiu trecho da via. Segundo ele, os problemas identificados nas rodovias serão tratados pela Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), antiga Agetop.

“No começo do governo fui obrigado a decretar calamidade financeira. Agora, tenho também que declarar uma calamidade em caráter emergencial na área das rodovias. É um colapso completo. Mais uma vez a GO- 060 foi interrompida. Estamos com o apoio do exército para que uma ponte metálica seja colocada imediatamente. Além disso, as outras rodovias estão em situação deplorável”, afirmou Caiado.

O governador também assegurou que os problemas em outra rodovia, na GO-070, serão tratados pelas empresas que pavimentaram a via, pouco mais de um ano. Caiado disse ter  ter determinado à Goinfra para que notifique todas as empresas para que voltem e corrijam os problemas. “Danos estes que estão provocando um agravo enorme não só aos cofres públicos, mas principalmente as pessoas que passam nas estradas e são vitimas de acidentes”, alegou. (* Especial para O Hoje)

 

(62) 3095-8700