22 de março de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Xadrez
22-02-2019 | 20h00
PSL ainda espera ser buscado para formar base de Caiado
Rubens Salomão

O partido do presidente da República, Jair Bolsonaro, o PSL ainda aguarda chamamento do governador Ronaldo Caiado (DEM) para confirmação de parcerias administrativas e políticas, depois da eleição de 2018. O presidente regional da sigla e líder da bancada na Câmara Federal, deputado delegado Waldir Soares, conta que ainda não teve qualquer conversa com o governador sobre a formação de governo ou mesmo sobre posicionamento alinhado da bancada na Assembleia Legislativa, com os estaduais Paulo Trabalho e Humberto Teófilo, e a federal, com próprio Waldir e o líder do governo Bolsonaro, Major Vitor Hugo. O presidente da legenda relaciona a ausência de articulação política em Goiás com o processo em Brasília. “Os deputados não vão votar com o governo porque o Caiado é bonito, ou porque os olhos do Bolsonaro são azuis”, define o parlamentar ao afirmar que, não necessariamente, a questão seria decida com o retorno do balcão de negócios entre os querem cargos e emendas e a gestão em busca de apoio no Legislativo.

Duras palavras

“É preciso ouvir os parlamentares. Até o momento, o PSL não ajuda a governar Goiás. Muitos ajudaram a eleger o governo e é uma opção do governador e do presidente não ouvi-los. Falta de atendimento e até de lealdade”, definiu Waldir.

Em negócio

O líder do PSL aponta que o presidente não tem hoje os votos necessários para aprovar a reforma da previdência e nem o projeto anticrime. Na última semana, reunião com os líderes de bancadas foi desmarcada. Ficou para terça-feira (26).

 “Enel levou a apagão”

O deputado federal e presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), José Mário Schreiner (DEM), proferiu duro discurso durante protesto contra a má prestação de serviço da Enel, empresa italiana que adquiriu a Celg-D e a responsabilidade pela distribuição de energia no Estado. “É inadmissível o que eles estão fazendo não somente com o produtor rural, mas com todo o povo goiano”, esbravejou. “A situação é insustentável. Imagine ficar mais de dez dias sem energia. Quando eles assumiram a Enel, tinham um plano de recuperar totalmente, em três anos, a capacidade de crescimento do estado e distribuição de energia. Já se passou dois anos e a qualidade piorou. Este protesto é apenas o início. É preciso tomar uma providência, inclusive com a empresa encontrando outro lugar, não em Goiás”, disse José Mário. O deputado, que representa o setor produtivo, exige atuação mais intensa para a fiscalização por parte da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que fiscaliza o setor no País.

CURTAS

A propósito – Representantes Fieg se reuniram com a Enel um mês depois de a empresa anunciar novos procedimentos para fornecedores de transformadores.

Serviço – Ficou acertado que a distribuidora avaliará programa em parceria com o IEL, além de estudar prazo maior para adaptação de industriais aos novos critérios.

Tô fora! – A presidente do Conselho de Administração da Saneago, Marlene Alves, entregou o cargo. Como antecipado aqui, também deixará a presidência da GoiásPRev.

 Resultados

O governador Ronaldo Caiado (DEM) voltou a cobrar resultados em reunião com o secretariado, além de discutir ações da gestão. Os números exigidos são referentes aos cortes nas despesas para o ajuste da situação financeira do Estado.

Caiado ainda demonstrou preocupação com a segurança para o feriado prolongado de Carnaval e solicitou que as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros reforcem o esquema de segurança, tanto nas rodovias quanto nos pontos turísticos.

Agora, vai!

A Polícia Federal decidiu, finalmente, investigar o esquema de candidatas laranjas do PSL de Minas Gerais, vinculadas a Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo.

Apuração

O promotor Fernando Ferreira Abreu, responsável pela parte eleitoral, teve reunião com delegados federais para pedir parceria na apuração do caso. A PF ajuda os promotores na busca de mais provas sobre o caso ocorrido nas eleições de 2018. 

Confirme

A secretária da Economia, Cristiane Schimdt, reafirma que Goiás cumpriu dois e não apenas um dos três critérios estabelecidos para adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. Fica o registro.

Recuperação

O mercado imobiliário em Goiânia mostra sinais de franca recuperação e a expectativa da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) é de que o mercado cresça 30% em 2019. 

(62) 3095-8700