24 de maio de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Abin
22-02-2019 | 10h05
Exército indica três Coronéis da reserva para superintendência da Abin
Servidores temem reprodução de práticas de espionagem do antigo Serviço Nacional de Inteligência (SNI)

Da Redação

Comandante do Exército, Edson Pujol designou três coronéis da reserva para cargos de superintendências da Agência Brasileira de Inteligência no Amazonas, Pernambuco e Ceará.  Segundo publicação no Diário Oficial da União, ocupação dos cargos ocorre por “necessidade do Serviço para o Gabinete de Segurança Institucional, chefiado pelo General Augusto Heleno.

Servidores da Abin ficaram surpresos com as transferências e reiteraram que vão continuar a cumprir o entendimento de que não deve haver investigação de pessoas em especial. Eles temem o retorno de práticas de espionagem feitas pelo antigo Serviço Nacional de Inteligência (SNI) que espionavam opositores do regime militar (1964-1984).

O Gabinete de Segurança Institucional não esclarece os motivos das transferências e declarou que se trata de um ato administrativo e temporário. Os oficiais não ocuparão cargos ou funções específicas da Abin.

O Serviço Nacional de Inteligência foi extinto no Governo de Fernando Collor em 1990 e a Agência Brasileira de Inteligência foi criada em 1999 no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002). Em 2015, no Governo Dilma Rousseff (2011-2016), a Abin passou para o controle civil com a extinção do GSI (Gabinete de Segurança Institucional). Após a queda da presidente, no Governo Michel Temer, o órgão voltou ao controle dos militares com a recriação do GSI.

 
(62) 3095-8700