23 de fevereiro de 2019 - sábado

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Rubens Salomão
09-02-2019 | 06h00
Anselmo: “Base tem número, mas falta estratégia inteligente”
O tucano tem um pé no MDB e avalia que a base do prefeito vive momento decisivo

O ex-presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Anselmo Pereira (PSDB), corre por fora na disputa pela liderança do prefeito Iris Rezende (MDB) na Casa e constrói articulação sólida para, como diz, se apresentar como “um conselheiro depois de nove mandatos”. O tucano tem um pé no MDB e avalia que a base do prefeito vive momento decisivo: “A prefeitura tem superávit financeiro, pode realizar grandes obras, mas pode, ao mesmo tempo, não tirar proveito disso. Tudo porque essa relação com a Câmara está a pouco tempo de azedar”, avisa. Para Anselmo, é fundamental que o prefeito faça boa escolha para o futuro cargo de secretário legislativo e que o novo líder, diferente do realizado por Tiãozinho Porto (PROS), tenha “credibilidade” para “buscar soluções para os vereadores e depois cobrar esse crédito na postura dos colegas, em votações. Não adianta número. O prefeito alcançou um número de maioria, mas falta uma estratégia inteligente”. E compara: “se número fosse importante, o Caiado teria vencido a eleição na Assembleia”.

Prazo de mudança

Vereadores da base contam à Coluna que Iris Rezende tem, como sempre, mantido discrição em relação à troca na liderança ou indicação para a nova secretaria política. Esperam que o prefeito observe durante fevereiro para depois decidir.

Expectativa

“É o que eu espero”, afirma Anselmo sobre a avaliação em fevereiro. “E que ele não deixe as coisas como estão, porque o período é outro. Está na hora da colheita, mas se plantou e não colhe no tempo certo, vai apodrecer”.

NOTA COM FOTO DE CELMAR RECH

TCE abandona omissão

O presidente do Tribunal de Contas do Estado de Goiás (TCE), conselheiro Celmar Rech (foto) afirmou que é imprescindível que os governos estaduais assumam compromissos somente até o limite máximo de suas receitas. A definição surge depois de seguidas avaliações de contas estaduais, ao longo das gestões do PSDB, com aprovação ou no máximo apresentação de ressalvas, mesmo em meio à construção do rombo entregue no fim de 2018. “Se a União apresenta um déficit estrutural em um ou mais anos - ou seja, faltam recursos previstos no orçamento -  faz o ajuste pela variação da sua dívida. Só que nos Estados isso não é assim. As unidades federadas não têm dívida mobiliária e o déficit é financiado pelos fornecedores ou servidores do Estado”, disse durante o 1º Fórum do Acordo de Cooperação Técnica, em Brasília. Rech representou a Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) na comissão que reuniu também o Instituto Rui Barbosa (IRB), tribunais de contas e Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

CURTAS

Escolha – Eleição no MP formou lista tríplice que será encaminhada ao governador Ronaldo Caiado (DEM), que escolherá o próximo procurador-geral de Justiça.

Quem são – A lista é composta pelo atual procurador, Benedito Torres (266 votos), além de Carlos Alberto (212) e Aylton Vechi (142). Leia mais na pagina 8.

Nacional – Candidato único para a vaga no CNMP, o promotor de Justiça Lauro Machado foi escolhido com 352 votos, 20 votos brancos e 5 nulos.

 

 

 

Centavos

Ao que tudo indica, a Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) deve se reunis na próxima quarta-feira (13). Na pauta, estará o pedido das empresas por aumento na passagem de ônibus na Região Metropolitana.

Ao voto

O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), escolheu o novo representante da Casa na CDTC. O ex-vereador Alysson Lima (PRB) ocupará o lugar do ex-deputado Marlúcio Pereira (PSB), que não foi reeleito.

No cargo

Além de regularizar a nomenclatura e criação de novas secretarias, a publicação da primeira parte da reforma administrativa confirmou a nomeação do ex-senador Wilder Morais (DEM) para a secretaria de Indústria e Comércio.

Trâmite conjunto

O secretário da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, aponta que o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, será responsável por decidir se o pacote anticrime do Ministério da Justiça será enviado em meio à discussão da reforma da Previdência.

Conflito

Líderes de partidos que podem se alinhar ao Palácio do Planalto questionam qual será a prioridade do governo se o pacote do ministro Sergio Moro tramitar junto com a reforma. Deputados apontam que as avaliações seriam concorrentes.

Investigação

Romário Policarpo (PROS) autorizou na Câmara novas Comissões Especiais de Inquérito. A primeira será a CEI da Educação, com Cristina Lopes (PSDB) na relatoria. 

(62) 3095-8700