16 de janeiro de 2019 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Xadrez
12-01-2019 | 06h00
Recuperação não prejudicaria incentivos ao setor produtivo
Futuro secretário estadual de Indústria e Comércio, senador Wilder Morais (DEM), nega que a adesão ao programa de recuperação fiscal do governo federal possa paralisar ações de incentivos

Em contato com representantes do setor produtivo, o futuro secretário estadual de Indústria e Comércio, senador Wilder Morais (DEM), nega que a adesão ao programa de recuperação fiscal do governo federal possa paralisar ações de incentivos, não apenas fiscais, aos empresários e produtores instalados em Goiás. A avaliação é feita depois que o presidente da FIEG, o ex-deputado federal Sandro Mabel, apresentou restrições à adesão ao Regime de Recuperação Fiscal. “A FIEG não é contra, mas temos preocupação sobre o estado ter, como única alternativa, a recuperação. Isso engessa o estado sobremaneira e corremos o risco de o governo não acompanhar um possível momento de crescimento na economia”, considerou Mabel. “Recebemos a todos na secretaria, a FIEG, ADIAL e outros. Posso garantir a todos que o estado deve se recuperar muito rápido, com ou sem o RRF. Estamos no centro do país e com condições muito favoráveis ao desenvolvimento em várias áreas. A maneira de sair da dificuldade é gerando emprego e renda”, respondeu Wilder.

Ainda nada

Apesar de o governador Ronaldo Caiado repetir em entrevistas, discursos e conversas, a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) ainda não confirma o rebaixamento da nota de crédito do estado de Goiás, da avaliação C para a D.

Mais notas

O democrata citou o fato em entrevistas concedidas em Brasília. O ex-governador Marconi Perillo reagiu e enviou nota a veículos da capital federal. Após consulta, a STN diz que aguarda números de 2018 para atualizar a nota. Questão de tempo.

Urzêda assume DGAP

O novo secretário de Segurança Pública, delegado aposentado da Polícia Federal Rodney Miranda, tem defendido que a gestão de presídios em Goiás deve ter autonomia administrativa e financeira, mas com subordinação à SSP. O formato ainda não foi finalizado e deverá ser apresentado de forma definitiva no projeto de reforma administrativa, em fevereiro. No entanto, o auxiliar do governador Ronaldo Caiado (DEM) já escolheu quem será o responsável pela área. O coronel da Polícia Militar Wellington Urzêda vai assumir a atual Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP). A indicação foi confirmada por Rodney Miranda. Segundo o secretário, o novo comandante “tem uma vertente disciplinar muito importante. A gente precisa disso para essa situação tão difícil, que é administrar um grupo de prisioneiros, de criminosos”. O secretário ainda afirmou que o sistema penitenciário de Goiás é a maior vulnerabilidade da Segurança Pública do estado e citou o déficit de vagas nos presídios, que segundo ele chega a 10 mil.

CURTAS

Solução – O titular da SSP define que se o Estado “não tiver o controle total do sistema prisional, nunca vai controlar a rua”, disse ao site A Redação.

Lembrança – Desde que deixou o cargo, o ex-presidente Michel Temer não viu prosseguir na Justiça nenhuma das três denúncias apresentadas contra ele pela PGR.

Juntos – Caiado recebeu o presidente reeleito da OAB-GO, Lúcio Flávio Paiva, e confirmou presença na cerimônia de posse, marcada para terça-feira, às 19h.

Pauta prévia

O Fórum em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado de Goiás realizou reunião e marcou assembleia na próxima segunda-feira (14), às 15h, em frente à sede da Secretaria da Fazenda (Sefaz), no setor Nova Vila, em Goiânia.

Atraso

O objetivo da nova reunião entre funcionários é pressionar o governo em relação ao pagamento do salário atrasado referente ao mês de dezembro de parte do funcionalismo público do Estado.

Baixa produção

A produção industrial de Goiás teve o pior desempenho do País ao registrar um recuo de 14,2% em novembro, em relação ao mesmo mês do ano passado. Houve fortes quedas nos setores de veículos, derivados do petróleo, alimentícios e medicamentos.

Comparação

Os dados são do IBGE e mostram que a indústria recuou em oito dos 15 locais pesquisados. Em relação a novembro de 2017, a produção caiu 0,9%, sendo que tanto em 2018 quanto em 2017, novembro teve 20 dias úteis.

O retorno

Ronaldo Caiado escolheu Paulo Cezar Reis para a presidência da Metrobus. O advogado de 74 anos presidiu a Empresa de Transporte Urbano do Estado de Goiás (Transurb), de 1991 a 1997, quando a Empresa se transformou em Metrobus.

Currículo

Atuou como Conselheiro fiscal da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) e, em Brasília, trabalhou por 14 anos em empresa de transportes.

(62) 3095-7800