23 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Eleições 2018
15/09/2018 | 09h00
Pesquisa Directa indica Caiado e Zé Eliton no segundo turno
Diferença entre o governador e o democrata cai para 10%; tucano tem a menor rejeição do eleitorado

Rafael Oliveira*

A diferença entre os candidatos Ronaldo Caiado (DEM) e José Eliton (PSDB) na disputa pelo governo do Estado é de dez pontos percentuais, de acordo com a nova rodada da pesquisa do InstitutoDirecta/O Hoje realizada entre os dias 10 e 13 de setembro. Ronaldo Caiado continua a liderara disputa com 36,8% das intenções de voto. O atual governador está com 26,2%. Estes números confirmam a tendência de possível segundo turno na eleição deste ano entre os dois. 

O deputado federal e candidato ao Palácio Daniel Vilela (MDB) permanece na terceira colocação com 11,7%. A professora Kátia Maria e candidata pelo PT está na quarta posição com 3,5%. Nenhum dos outros candidatos registrou mais de 1% no levantamento. Weslei Garcia (Psol) anotou 0,8%; Marcelo Lira (PCB) pontuou 0,6% e Alda Lúcia (PCO) com 0,5%. Os entrevistados que pretendem anular o voto somam 10,8% dos entrevistados e quemnão soube ou não quis opinar marcou 9,1%. 

O instituto Directa também mediu o humor do eleitorado a respeito dos candidatos numa sondagem espontânea, ou seja: sem o auxílio da cartela com os nomes dos políticos. Neste quadro, a diferença entre Caiado e Eliton é ainda menor. O senador do DEM lidera com 14,5% e o governador aparece com 9,7%. Daniel foi mencionado por 4,6% dos entrevistados. Kátia Maria, por 1,5%. Disseram que pretendem votar em Marcelo Lira 0,6% e em outros nomes que não estão na disputa, 0,7%. O contingente de indecisos chega a 58,3%. Votos nulos somam 10,1%. 

O candidato tucano tem a menor rejeição por parte do eleitorado entre os três primeiros colocados na disputa – José Eliton pontua apenas 11% de rejeição. O candidato do MDB, Daniel Vilela, lidera a rejeição ao governo com 15%, em segundo vem Kátia Maria (PT) marcando 14% e em terceiro o senador Ronaldo Caiado (DEM), pontuou 12,5%. 

Senado

O instituto também perguntou aos eleitores em quem votarão para as duas vagas ao Senado. O ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) está em primeiro lugar com 32,1% das intenções de voto. A senadora e candidata à reeleição Lúcia Vânia (PSB) está em segundo com 29,2%. Em terceiro, o vereador Jorge Kajuru (PRP) com 28,5% e em quarto, Vanderlan Cardoso (PP) com 14,6%.

Na sequência, vêm Wilder Morais (4,6%), professora Magda Borges (3,2%), professora Geli (2,8%), Agenor Mariano (2,6%), professor Alessandro Aquino (1,9%), Luis Cesar Bueno (1,8%), Fabrício Rosa (1,1%) e Santana Pires (0,9%). Votos sumos representam 12,7%. Não souberam ou não quiseram responder 10,1% dos entrevistados.

O instituto Directa ouviu 1.002 eleitores em 60 municípios de Goiás entre os dias 10 e 13 de setembro. A margem de erro é de 3,9 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob protocolo 05872/2018.

 Eliton presta contas e reforça

compromisso com equilíbrio 

Lucas de Godoi*

O governador Zé Eliton (PSDB), candidato à reeleição, prestou contas de situação fiscal do Estado e reafirma compromisso com medidas de austeridade. Zé Eliton afirmou que a situação das contas "é apertada", mas que com planejamento e responsabilidade, serviços, folhas e contratos seguem em dia, apesar dos efeitos da crise econômica nacional. A declaração foi feita ontem, ao Jornal Anhanguera.

"Não existe solução mágica, como tentam fazer crer os adversários, mas muito trabalho, organização e planejamento", disse o governador. Zé Eliton garantiu que  “com muito trabalho”, Goiás vai seguir se desenvolvendo e avançar mais em todas as áreas. O governador disse que a gestão mantém um programa permanente de ajuste fiscal no Estado.

Zé Eliton lembrou que as medidas adotadas para o ajuste fiscal são reconhecidas nacionalmente e citou o anúncio, nesta sexta-feirado Ranking Nacional de Competitividade da CLP em parceria com a Consultoria Tendências, de que Goiás é o quinto estado em solidez fiscal. “Não somos nós que estamos falando, são consultorias externas que apontam essa realidade”, assinalou.

Com melhoria na solidez fiscal, eficiência da máquina pública, segurança pública, sustentabilidade do meio ambiente e infraestrutura, Goiás saltou três posições e alcançou o grupo dos dez Estados mais competitivos do País. O ranking, divulgado nesta sexta-feira (14/9) pelo Centro de Lideranças Públicas (CLP) em parceria com a Tendências Consultoria Integrada e EconomistIntelligence Unidade, na Bolsa de Valores de São Paulo, coloca o Estado na 10ª posição, ultrapassando Rio de Janeiro, Ceará e Mato Grosso.

Zé Eliton também lembrou que o Tribunal de Contas do Estado aprovou por unanimidade as contas do estado. “Portanto, dentro de um conjunto de ações que estamos fazendo, buscamos, ao longo dos anos, reduzir a relação dívida-receita do estado”, disse. O governador disse que em 1999, era preciso três anos de receita para pagar a dívida. “Hoje, precisamos de menos de um ano para pagar a dívida.  “Portanto, nós temos uma relação dívida-receita extremamente salutar”, afirmou. 

 

“As desigualdades precisam ser combatidas”, diz Caiado  

Ao fazer um giro por sete cidades da região da Estrada de Ferro nesta sexta-feira (14 de setembro), o candidato ao governo Ronaldo Caiado (Democratas) defendeu que o interior receba a atenção que merece do governo por ser uma grande força no desenvolvimento de Goiás. Em entrevista concedida a um veículo de comunicação em Bonfinópolis, Ronaldo Caiado falou que o combate às desigualdades regionais será tratada como prioridade .

“O interior de Goiás contribui e muito para o desenvolvimento de nosso Estado e precisa ter retorno em qualidade de serviços e atendimento à população. É fundamental que haja essa reciprocidade nesta relação. Goiás não pode viver mais com tantas desigualdades regionais. É preciso direcionar os incentivos fiscais para levar mais desenvolvimento para o interior”, frisou.

Segundo o democrata, a preocupação do governante não deve ser partidária e nem a de atender aos interesses de grupos. “O governador precisa conhecer bem o Estado para poder aplicar não onde interessa alguns, mas onde interessa a população. O nosso foco principal é o cidadão. Não é projeto de poder partidário para atender um grupo. Nós temos condições de fazer política com espírito público e dignidade. É isso que me fez ser candidato”, assegurou.

Ao lado do candidato a vice-governador Lincoln Tejota (Pros) e de membros da coligação A Mudança É Agora, Ronaldo Caiado percorreu com carreatas as cidades de Bonfinópolis, Leopoldo de Bulhões, Silvânia, Vianópolis, Orizona, Urutaí e Ipameri. Segundo ele, as passagens pelos municípios demonstraram o desejo de mudança da população.

“Acreditamos que o sentimento da população é por mudanças e teremos condições de implantá-la o mais rápido possível e resgatar Goiás, dar um ânimo para o povo. Nosso foco é o cidadão. Teremos tolerância zero com a corrupção. É inaceitável que Goiás não tenha qualidade de educação, de saúde, segurança e oportunidade de emprego. Há uma situação de total carência. Precisamos um Estado em que haja solidariedade, amor ao próximo e condições de cidadania”. 

Em Leopoldo de Bulhões, a carreata passou em silêncio, em respeito ao falecimento do empresário Josias Pereira de Azevedo, da Granja José Dito. “Era um homem que gerava mais de 1 mil empregos diretos e contribuiu muito para o desenvolvimento do Estado de Goiás. Desejamos condolências à família e tenho certeza que ele está lá de cima nos orientando”, declarou. Na cidade, sete dos nove vereadores estão com Caiado, informou o presidente da Câmara Municipal, Dito da Horta.  

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)