14 de novembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Decisão
09/07/2018 | 16h35
Exagero nos juros faz Governo de Goiás recusar empréstimo
A Caixa Econômica Federal teve proposta recusada pelo Estado, o ofício dispensando a contratação foi encaminhando na última sexta (6)

Da Redação

Nesta segunda-feira (9), o governador José Eliton anunciou que o Governo de Goiás decidiu recusar o empréstimo de R$ 510 milhões negociado com a instituição financeira, Caixa Econômica Federal. O chefe do Executivo explicou que o ambiente político eleitoral impactou sobre a análise de risco da instituição bancária e as condições foram maiores do às praticadas em outras operações. “O Estado não procura recurso a qualquer custo”, disse.

Segundo a gestão estadual, a proposta enviada na quinta (5), determinava uma taxa de juros mensais de 0,91 % ao mês e 200% do Fundo de Participação dos Estados como garantia, exigia também 400% do montante contratado em depósitos e comissão de 2% sobre o valor contratado para a instituição financeira.

Ainda segundo José Eliton, o ambiente político eleitoral teve papel importante na decisão. "Isso é natural não apenas com essa operação, mas em várias outras e em todo o Brasil, já que temos um calendário eleitoral que prevê uma eleição em outubro próximo. Todas essas questões de risco impactam não só operações de crédito, mas todo mercado financeiro", observou.

Enfatizando a escolha por recusar o empréstimo, o governador acrescenta. "No caso de Goiás, ainda tivemos componentes de líderes da oposição que se manifestaram contrários à operação. Na minha avaliação, com argumentos equivocados, do ponto de vista técnico. Enquanto eles estão olhando para a eleição, eu olho para a saúde financeira do Estado", disse.

O secretário da fazenda do estado de Goiás, Manoel Xavier, agradeceu o empenho da instituição bancária na negociação em ofício encaminhado a Nelson Antônio de Souza, presidente da Caixa Econômica Federal. Mas recordou que as tratativas começaram em 2017 sendo enviada a proposta somente em julho de 2018 na quinta-feira (5). O ofício dispensando a contratação foi encaminhando na sexta (6).

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)