24 de junho de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Política
Afastamento
13/06/2018 | 06h00
Um mês depois, suspensões no MDB não avançam
Depois da deliberação do conselho de ética, processo ainda não foi discutido pela comissão executiva do partido

Lucas de Godoi* 


Um mês depois de o conselho de ética do MDB votar favorável pelo afastamento de prefeitos dissidentes, o processo não avançou. No dia 11 de maio, o conselho de ética do partido acatou recurso e emitiu parecer favorável a suspender por 60 dias os prefeitos Adib Elias, de Catalão; Ernesto Roller, de Formosa; e Paulo do Vale, de Rio Verde. Os gestores suspensos se posicionam a favor do democrata Ronaldo Caiado nas disputas eleitorais deste ano. 

De acordo com Ezízio Barbosa, relator dos pedidos de expulsão, a comissão executiva estadual do partido é o colegiado responsável por decidir se afasta ou não os administradores municipais. Até hoje esta agenda não ocorreu e segundo o relator, provavelmente a reunião ocorra na próxima semana. “A partir daí é que começa a contar os sessenta dias”, esclarece. 

A disputa dentro do partido não é recente e ocorre por que uma parcela de prefeitos eleitos do MDB endossa a candidatura de Ronaldo Caiado (DEM) ao governo de Goiás, ao invés de bancar a candidatura do deputado federal Daniel Vilela, pré-candidato pelo partido. 

“Foi um documento muito bem fundamentado, foi demonstrado que existe perigo, por isso foi julgado pelo afastamento pela Comissão de Ética, por unanimidade”, justificou Ezízio, após a deliberação do conselho de ética, no início de maio. 

Ao O Hoje, o prefeito Paulo do Vale informou não ter sido notificado da decisão do conselho de ética do partido e que pretende tomar providências judiciais contra a medida.  “Não fomos notificados. Estamos aguardando [eventual notificação] para entrar com uma liminar. Mas por enquanto ainda não recebemos notificação”, disse, acrescentando que não sabe se a comissão executiva se reuniu para deliberar sobre o tema. 

A assessoria do prefeito Adib Elias informou que ele também não foi notificado, mas que “já está preparando a sua defesa”. Segundo a nota, o gestor “não vai sair do partido e vai defender união com Ronaldo Caiado na convenção em agosto”. 


Sem discussão

Há mais de 40 dias, o presidente do diretório de Catalão, Cairo Roberto Batista também registrou um pedido de expulsão contra o ex-governador de Goiás, Maguito Vilela. Mas este processo ainda não deliberado pela legenda. Na ocasião, Maguito disse ser este um ato em retaliação aos processos apresentados anteriormente aos dissidentes. “Muita gente pediu a expulsão deles porque eles sim traíram o partido e foram apoiar outro candidato”, falou à época. 

“Quanto ao meu pedido de expulsão do Maguito pelos mesmos motivos que ele pediu o meu, parece que até hoje a [comissão] executiva também nem reuniu para apreciar. Estou aguardando mais este mês e depois eu vou questionar o diretório estadual por que não apreciou o pedido”, frisou Cairo. 

De acordo com Barbosa, o pedido contra o ex-governador foi “encaminhado para a executiva estadual, que reencaminhou para o diretório do MDB em Aparecida”. Ele não sabe informar quando o processo será discutido no município. (* Especial para O Hoje) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)