19 de agosto de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mundo
Fatalidade
09/08/2018 | 14h00
Vereadora holandesa se suicida após revelar que foi estuprada
Dille publicou um vídeo no Facebook onde revela que foi sequestrada, torturada e estuprada por muçulmanos que queriam calar a boca dela, o crime tria acontecido em março do ano passado

Uma vereadora do Partido da Liberdade (PVV), da Holanda,  se suicidou depois de publicar um vídeo na internet denunciando que tinha sido vítima de "um estupro" em março do ano passado.

"Já não podia suportar o que tinha ocorrido e as reações recebidas", disse hoje seu colega do PVV, Karen Gerbrands, ao confirmar o suicídio no Twitter.

Em outra mensagem, o líder do PVV, Geert Wilders, afirmou estar "muito consternado" pela morte de Dille, enquanto o primeiro-ministro, Mark Rutte, desejou "força ao PVV após esta grande perda".

Em comunicado, a prefeita da Haia, Pauline Krikke, confirmou que interromperá suas férias para voltar à cidade e considerou que "esta notícia é um grande choque para todos".

Dille, que exerceu o papel de deputada do PVV entre 2010 e 2012, publicou na quarta-feira o vídeo em sua página do Facebook no qual assegurava que em março do ano passado, durante a época eleitoral, tinha sido vítima de estupro.

"Fui sequestrada, estuprada e torturada por um grupo de muçulmanos porque queriam calar minha boca no Conselho da Haia. Quando tudo passou, não contei a ninguém", acrescentou.

Um porta-voz da polícia confirmou que os agentes mantiveram vários encontros com Dille, de 53 anos, para falar sobre o suposto incidente e as ameaças que dizia receber, mas as autoridades nunca iniciaram uma investigação porque a vereadora "não quis apresentar uma denúncia" e nem oferecer provas do ocorrido.

No vídeo, Dille acusou a um ex-membro do PVV Arnoud van Doorn de estar por trás da suposta violação e as ameaças, às quais ele respondeu no Twitter dizendo que está "surpreso" pelas acusações e garantiu estar "considerando apresentar uma denúncia por calúnias".

Dille tinha uma posição política considerada de ultradireita.  

Fonte: Agência Brasil

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)