16 de dezembro de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
ESMP
08/11/2018 | 13h25
Feminicídio é tema de seminário em Goiânia
Como objetivo de estimular o debate sobre o tema em Goiás, o evento será nesta sexta-feira (9/11)

Foto: Reprodução

Da Redação

O Seminário Feminicídio será nesta sexta-feira (9), no auditório do edifício-sede do Ministério Público (MP). Iniciativa do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos do MP – Núcleo de Gênero, com coordenação da Escola Superior (ESMP), o evento tem como objetivo estimular o debate sobre o tema em Goiás, tendo em vista os números crescentes de registros de violência dessa natureza no Estado. O seminário é voltado para membros do MP, servidores da instituição, integrantes da rede de atendimento às mulheres e acadêmicos de Direito. Cerca de 400 pessoas inscreveram-se para participar do evento.

A programação prevê, na abertura, logo após a fala do procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto, a apresentação do projeto Cenários MP Goiás, pela subcoordenadora do Gabinete de Planejamento e Gestão Integrada, Alice de Almeida Freire, e a coordenadora do CAODH, Patrícia Otoni.

Também integram o corpo de palestrantes a advogada criminal Luíza Nagib Eluf, ex-procuradora de Justiça do MP de São Paulo e autora do livro A Paixão no Banco dos Réus, sobre homicídios passionais, que será tema da sua exposição; a promotora de justiça do MP de Mato Grosso do Sul Ana Lara Camargo de Castro, membro auxiliar do Conselho Nacional do MP (CNMP), e o professor e promotor de Justiça Cleber Rogério Masson, do MP paulista (confira aqui a programação, com o tema das palestras). 

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)