22 de março de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
mulheres
08-03-2019 | 06h00
Clubes se estruturam no futebol feminino
No Dia Internacional da Mulher, saiba como anda o planejamento dos times da Série A do Brasileirão com suas equipes femininas

*Luiz Felipe Mendes

No fim do ano passado, a CBF decretou que todos os participantes da primeira divisão do Campeonato Brasileiro seriam obrigados a montar um elenco feminino, como forma de incentivo à modalidade. Naquele momento, apenas Ceará, Corinthians, Flamengo, Grêmio, Internacional, Santos e Vasco já tinham uma equipe pronta, e os outros clubes tiveram de correr atrás. Hoje, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, saiba como está o planejamento de cada um.

Vamos começar com aqueles clubes que já estavam adiantados e com plantéis devidamente montados. Em 2018, participaram da Série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino o Corinthians, que se sagraria campeão, o Santos, o qual chegou até as quartas de final, e o Flamengo, que por sua vez caiu nas semis. Todos eles deram seguimento à programação, inclusive nas arquibancadas – o Timão, por exemplo, organizou a torcida organizada com o nome de Movimento Alvinegras, inclusive com o auxílio das rivais palmeirenses, que compõem as Verdonnas. Grêmio e Internacional protagonizaram a decisão do Gauchão na última temporada, com vitória tricolor. Já o Vasco, com as Meninas da Colina, vai disputar a Série A2 do Brasileirão, assim como o Ceará.

Agora, vamos às equipes que montaram seus times femininos neste ano, começando pelo Goiás. O esmeraldino fechou parceria com a Universo (Universidade Salgado Oliveira) e a dupla vai não só somente se esforçar para montar um grupo competitivo, mas também investir em categorias de base. O professor Willian Mendes, da Universo, comentou sobre as expectativas. “O projeto é pra daqui a dois ou três anos competir com grandes clubes do Brasil. Como o Goiás nunca participou de competições no futebol feminino, vai participar primeiro do Campeonato goiano e depois de competições no Centro – Oeste. Vamos mirar o Brasileiro de 2020, já que o Goiás tem que conquistar a vaga no estadual para o Brasileiro, disputando a Série A2 e depois a Série A no feminino”, analisou.

Além de Vasco e Ceará, clubes que iniciaram suas atividades agora na categoria feminina também estarão presentes na Série A2 do Campeonato Brasileiro. A CBF até já divulgou os grupos, com as datas ainda a serem definidas. O Grupo 1 terá o Vozão ao lado de Tiradentes-PI, Oratório-AP, Santa Quiteria Futebol Clube-MA, Esmac-PA e São Valério-TO. No Grupo 2, não há nenhum time que frequenta a primeira divisão nacional na modalidade masculina; a chave é formada por Operário-MT, Atlético-AC, São Raimundo-RR, Pinheirense-PA, 3b Sport-AM e Porto Velho-RO. O Grupo 3, a exemplo de seu antecessor, não tem nenhum clube da elite masculina: Náutico, Botafogo-PB, Lusaca-BA, Canindé-SE, Uda-AL e Cruzeiro-RN.

Por fim, os outros grupos da Série A-2 do Brasileirão vão ter equipes grandes mais condensadas. No de número quatro, Palmeiras, Atlético Mineiro e Grêmio vão dividir espaço com Portuguesa, Toledo-PR e Moreninhas-MS. O de número cinco terá os rivais Vasco e Fluminense e o Cruzeiro, além de Taubaté-SP, Aliança-GO e Cresspom-DF. Para encerrar, o de número seis contará com Botafogo, São Paulo, Chapecoense, e América Mineiro, Duque de Caxias-RJ e Vila Nova-ES. O Athletico Paranaense, por outro lado, fez parceria com o Foz Cataratas e vai entrar em campo pela primeira vez neste domingo, às 16 horas, na Arena da Baixada, em amistoso contra o Imperial. A equipe unificada vai disputar o Brasileiro A1. O CSA busca parceria com a multicampeã Marta, torcedora do clube, para alavancar o time. O Avaí já está com licenciamento do grupo, de contrato assinado, e o Fortaleza ainda está em fase de planejamento.

 

(62) 3095-8700