22 de julho de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
Copa do Mundo
06/07/2018 | 06h00
Brasil e Bélgica se reencontram na Copa para vaga na semifinal
No último encontro entre as duas seleções, a equipe brasileira triunfou por 2 a 0 nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2002

Luiz Felipe Mendes*


Não há mais espaço para erros. Não há mais espaço para falhas. Para chegar até as semifinais da Copa do Mundo, o Brasil vai precisar jogar o que sabe e colocar em campo todo o peso de uma camisa pentacampeã mundial. A Bélgica é talentosa e um adversário formidável. O decisivo confronto pelas quartas de final do torneio promete ser mais do que interessante, a ser disputado hoje, às 15 horas, na Arena Kazan. A equipe que avançar enfrenta o vencedor do duelo entre Uruguai e França.

Embora os belgas tenham em mãos o provável melhor time da história do país, o elenco vem sofrendo com uma “maldição de quartas de final”. Na Copa de 2014, os europeus foram eliminados pela Argentina justamente nessa etapa, a exemplo do que aconteceu na Eurocopa de 2016, quando caíram perante País de Gales. Diante de um desafiante que venceu a Copa cinco vezes na história, essa marca pode ser mais do que simbólica. Além de tudo, Brasil e Bélgica já se enfrentaram uma vez em Mundiais, lá em 2002. Naquela ocasião, os sul-americanos venceram por 2 a 0.

A maior arma da Bélgica pode variar de jogo a jogo. Com grande qualidade individual de atletas como Eden Hazard e Kevin De Bruyne, a esquadra ainda conta com o talento para fazer gols de Romelu Lukaku, vice-artilheiro da Copa, tendo marcado quatro vezes. Além disso, o jogo aéreo pode ser uma estratégia fatal, até porque a média dos jogadores é de seis centímetros a mais que os do Brasil. Porém, o técnico Tite também tem algo a seu favor: os retornos de atletas anteriormente lesionados. É preciso somente tomar cuidado com os pendurados. Ou seja, se Neymar, Philippe Coutinho e/ou Filipe Luís levarem um cartão amarelo nesta tarde, ficarão de fora de uma eventual semifinal.

É verdade que o volante Casemiro está suspenso e fora da partida de hoje. Fernandinho será o seu substituto – apesar de ter falhado no infame 7 a 1, o meio-campista tem uma capacidade inquestionável. No posto de capitão, Miranda foi o escolhido. Com exceção de Casemiro, Tite tem todos os outros jogadores à sua disposição. O lateral-esquerdo Marcelo se recuperou e retoma a vaga de Filipe Luís. O atacante Douglas Costa está 100% e deve iniciar no banco de reservas. O lateral-direito Danilo pode voltar a atuar, mas por enquanto Fagner continua como o dono da posição.

O confronto entre Brasil e Bélgica coloca frente a frente diversos nomes que atuam juntos em seus clubes. No Barcelona, Coutinho e Paulinho dividem espaço com Vermaelen. No Chelsea, Willian tem a companhia de Hazard, Courtois e Batshuayi. No Liverpool, Firmino e Mignolet jogam juntos. Dentro do PSG, a quantidade é ainda maior – de um lado Neymar, Thiago Silva e Marquinhos, e do outro Meunier. O Manchester City é o que mais possui essa junção, com Gabriel Jesus, Fernandinho, Ederson, Kompany e De Bruyne.

A batalha promete ser acirrada. Naturalmente, o favoritismo está do lado brasileiro, principalmente devido à história da seleção e sua solidez defensiva. Para se ter uma ideia, foram apenas cinco chutes adversários no alvo em um total de quatro partidas. Nestas oportunidades, somente uma vez a bola morreu no fundo das redes. Enquanto os belgas possuem problemas na defesa, seu ataque compensa por ser o melhor da competição, com 11 gols marcados. Com um panorama desses, não tem como não ser um jogão. 


Ficha técnica 

Brasil  x  Bélgica 

Local: Arena Kazan, às 15 horas, em Kazan, na Rússia. Árbitro: Mirolad Mazic (Sérvia). Assistentes: Milovan Ristic (Sérvia) e Dali Djurdjevic (Sérvia) 

Brasil: Alisson; Marcelo, Miranda, Thiago Silva e Fagner; Fernandinho, Paulinho e Philippe Coutinho; Willian, Neymar e Gabriel Jesus

Técnico: Tite

Bélgica: Courtois; Vertonghen, Kompany e Alderweireld; Axel Witsel, Kevin De Bruyne, Nacer Chadli, Thomas Meunier, Fellaini e Eden Hazard; Romelu Lukaku

Técnico: Roberto Martínez 

Tópicos:  Seleção,   Brasil,   Bélgica,   Rússia

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)