22 de fevereiro de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
longe da crise
17-01-2019 | 13h00
Mercado de planos odontológicos crece em meio a crise
Setor tem se desenvolvido crescentemente nos últimos anos e a expectativa é que o percentual de crescimento em adesões seja ainda maior em 2019

Da Redação

O cenário de crise, sobre o qual tanto se fala nos últimos anos, não foi percebido na área da saúde – pelo menos não pelos planos odontológicos. Os brasileiros têm se preocupado mais com a saúde bucal e isso se reflete nos dados de crescimento do setor. De acordo com uma pesquisa publicada pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) o número de beneficiários de planos de saúde entre os meses de agosto de 2017 e de 2018 cresceu 7% em todo país, o que representa mais de 1,5 milhão de novos beneficiários no segmento. Em números absolutos, o Centro-Oeste avançou 8%, um total de 111.432 novos beneficiários.

O mercado de planos exclusivamente odontológicos segue como destaque. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou dados atualizados relativos ao mês de setembro. Nos planos de assistência médica, o setor contabilizou 47.341.036 beneficiários, mantendo estabilidade em relação ao mesmo período do ano anterior. Já nos planos exclusivamente odontológicos, foram registrados 24.053.977 beneficiários, aumento de 1,7 milhão no comparativo com o mesmo período do ano passado.

Em Goiás, foram registrados 619.301 beneficiários exclusivamente odontológicos em setembro deste ano, frente aos 592.398 do mesmo mês de 2017. O dentista e CEO da Clin - Plano Odonto Digital, Breno Neves, entende que os números refletem uma nova mentalidade. “As pessoas estão tendo mais cuidado com a saúde bucal e com o corpo como um todo. Problemas odontológicos podem causar danos não apenas orais, mas para o organismo de forma completa. Acredito que as pessoas passaram a ter mais acesso à informação e, com isso, estão se conscientizando mais e consequentemente sendo mais zelosas com o bem-estar e saúde”.

Em 2017, segundo a ANS, o setor contabilizou mais de 1,51 bilhão de consultas médicas, outros atendimentos ambulatoriais, exames, terapias, internações e procedimentos odontológicos. O número representa um aumento de 3,4% em relação à produção assistencial registrada em 2016 (em números absolutos), ano em que o setor totalizou 1,46 bilhão de procedimentos efetuados.

Quem busca por um plano odontológico para garantir os cuidados periódicos com a saúde bucal muitas vezes encontra mais vantagens em planos coletivos e corporativos. Isso porque, na maioria dos casos, os serviços trazem mais praticidade para o dia a dia das empresas e dos colaboradores. “Os planos coletivos empresariais oferecem comodidades interessantes tanto para as empresas que os contratam, como para quem os utilizam", destaca Breno Neves. 

 

(62) 3095-8700