21 de outubro de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Recursos
09/08/2018 | 16h15
FCO aprova novos investimentos para Goiás
A demanda por recursos chegou a R$ 239,34 milhões que garantirão a geração de 1.559 empregos diretos

Entre os principais projetos está o da Geolab Indústria Farmacêutica que pleiteou R$ 122,21 milhões para construir uma nova unidade. (Foto: Crédito/SED)

Da Redação

O Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) aprovou nesta quinta-feira (9), 28 cartas consultas de empresas que pleiteiam recursos para expandirem ou abrirem seus negócios em Goiás, nas áreas industrial, de serviços e rural. Ao todo, a demanda por recursos chegou a R$ 239,34 milhões que garantirão a geração de 1.559 empregos diretos.

Entre os principais projetos está o da Geolab Indústria Farmacêutica que pleiteou R$ 122,21 milhões para construir uma nova unidade no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), onde terá um grande laboratório de pesquisas para novos medicamentos e também para a produção de novos produtos nas linhas oftalmológicas, de remédios de uso prolongado como doenças de Alzheimer e Parkison, do pulmão e outros.

O diretor da Geolab, Georges Hajjar Júnior, disse que serão investidos R$ 250 milhões na nova unidade do grupo. Desse total, R$ 50 milhões já foram investidos de recursos próprios. Com a parte do FCO ele espera acelerar a obra que vai garantir dobrar a atual produção de 37 milhões de unidades/mês e gerar mais 900 empregos diretos e outros 3.500 indiretos.

O empresário lembrou que foi graças ao apoio do Governo de Goiás, através do FCO, foi possível implantar a Geolab em Anápolis no início dos anos 2000. “Hoje já somos uma das 20 maiores empresas do ramo farmacêutico brasileira”, comemora.

O secretário de Desenvolvimento e presidente do Conselho Deliberativo do FCO, Leandro Ribeiro, defendeu a aprovação de todos os pedidos de empréstimos do Fundo, tanto os da área empresarial como a rural, lembrando que isso vai representar mais investimentos em Goiás, com consequência de aberturas de vagas de trabalho, mais renda e melhoria da qualidade de vida da população. “O Governo de Goiás está focado no crescimento econômico e social”, disse.

Outro projeto que teve a aprovação do Conselho Deliberativo do FCO foi o da Caramuru Alimentos que pretende expandir sua unidade de fabricação de óleo e farelo de soja, no município de Ipameri. A carta consulta da empresa demandou recursos de R$ 13,73 milhões.

Os investimentos empresariais e rural, aprovados pelo FCO nesta quinta-feira (09/08) serão aplicados nos municípios de Anápolis, Santa Helena, Iporá, Mineiros, Rio Verde, Jataí, Aparecida de Goiânia, Ipameri, Piranhas, Goiânia, Caçu, Paraúna, Palmeiras de Goiás, Itaberaí, Hidrolândia, Montividiu, Itapirapuã e Santa Rita do Araguaia.

Os empresários pretendem abrir ou expandir seus negócios nas áreas de turismo, comércio e serviços, infraestrutura econômica, industrial, e na agropecuária (pecuária de leite e de corte, agricultura, avicultura de corte e silvicultura).

O gerente de Mercado de Agronegócios do Banco do Brasil em Goiás, Rodrigo Santos, disse que dos R$ 2,3 bilhões do orçamento do FCO para Goiás mais de 70%, o equivalente a R$ 1,74 bilhão, já foram aplicados, a maioria no setor rural. Mas ele garantiu que, este ano, não faltarão recursos para atender a demanda dos empresários goianos e que o Banco continua acatando todas as propostas. “No fim de setembro haverá um remanejamento dos recursos não aplicados por outros Estados para suprir a demanda daqueles que já estouraram seus orçamentos, como é o caso de Goiás e Mato Grosso”, anunciou.

Nos últimos 20 anos, dos R$ 75,19 bilhões de recursos do FCO, liberados pelo Banco do Brasil, Goiás foi o que demandou mais financiamentos. Aplicou R$ 26,96 bilhões em 427.604 projetos e gerou ou manteve 2,8 milhões de empregos.

A reunião desta quinta-feira do Conselho Deliberativo do FCO foi realizada na sede da Agência de Fomento e presidida pelo secretário Leandro Ribeiro. 

Tópicos:  FCO,   Investimento,   Empregos,   Negócio

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)