22 de março de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
Saúde
10-01-2019 | 10h55
Vegetarianismo que previne doenças
Chances de diabetes, câncer e cardiopatias são reduzidas com alimentação equilibrada e sem carne, apostam adeptos

Jefferson Santos e Felipe André

Passou o tempo em que os vegetarianos decidiam deixar de comer carne simplesmente para alcançar um resultado estético. Nutricionistas indicam esse estilo de vida como um ganho na saúde, na prevenção de doenças e até mesmo para a cura de alguns males. 

Mais do que um hábito alimentar, deixar de consumir carnes traz diversos benefícios para o bem-estar físico e emocional dos seres humanos. Uma dieta bemequilibrada e sem carnes ajuda na melhoria do sono, influencia diretamente na disposição física das pessoas, fortalece a pele e o cabelo e pode prevenir doenças como diabetes e câncer. 

Outro grande benefício de ser vegetariano é a diminuição dos riscos de contrair cardiopatias, ou seja, as doenças do coração. Isso porque o consumo excessivo de proteína animal ajuda a elevar os níveis de LDL — denominado colesterol ruim —, aumentando os riscos de infartos.

Os adeptos de uma dieta vegetariana consomem cada vez mais frutas, verduras e legumes, alimentos isentos de colesterol e ricos em antioxidantes, substâncias que reduzem as inflamações, protegendo assim o coração. 

Gabriella Braz Essado, de 24 anos, nutricionista graduada pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e pós-graduanda em Nutrição Funcional, explica sobre o combate às doenças. 

"Dietas vegetarianas, quando planejadas adequadamente podem, sem dúvidas,proporcionar uma vida mais saudável, trazendo vários benefícios à saúde, prevenindo e/ou tratando doenças crônicas, como por exemplo: obesidade, aterosclerose,hipertensão arterial, diabetes, e dislipidemia. Porém, deve-se levar em conta que dietas vegetarianas radicalmente restritivas, podem ocasionar deficiências nutricionais, como: deficiência de vitamina B12, B2, Cálcio, Ferro e Zinco, podendo assim acarretar problemas de saúde, como a Anemia Ferropriva, uma vez que as melhores fontes e quantidades adequadas para preveni-las estão presentes nas carnes vermelhas e vísceras", explicou Gabriella. 

O professor de educação física,Túlio Diniz, que também é ex-atleta, decidiu alguns anos atrás, após assistir uma palestra, se dedicar a um novo hábito alimentar e viu na possibilidade de melhorar sua saúde e evitar doenças, como o motivo principal dessa mudança. 

"Não pensei em apenas prevenir, mas também curar doenças. Após assistir uma palestra, que me foi apresentado muitas informações, tirou tudo o que eu acreditava e comecei a ver o vegetarianismo de maneira diferente", comentou Túlio. 

O foco de Túlio foi realmente sua saúde, apesar dos movimentos contra a matança de animais para produção de carne, o exatleta focouapenasna saúde e explicou as mudanças sentidas no corpo. 

"Quando sua alimentação vai para o lado das frutas e verduras, sua saúde e energia, ficam totalmente diferentes. Eu assumo que fui viciado em carne, mas hoje eu evito o máximo possível. Como eu gosto muito do sabor, raramente eu como.Evito comer carne, mas não pelos ‘animaizinhos’, foi pela minha saúde mesmo", complementou.

Caroline Santana dos Reis, de 21 anos, ao contrário de Túlio, aderiu ao novo hábitoalimentar após assistir alguns documentários que retratou a violência contra os animais. "Eu acompanho algumas famosas no Instagran e teve uma específica que indicou alguns documentários sobre vegetarianismo e veganismo como o 'A carne é fraca e o Cowspiracy' e eu assisti. 'Acarne é fraca' principalmente me chocou demais, eu chorei muito assistindo, porque mostra a forma que o animal morre, todos eles, vaca, galinha, golfinho. Eu fiquei em choque”. 

"Mudou tudo, minha energia, felicidade, capacidade física nos treinos, imunidade, pele,tudo mudou. Foi uma coisa muito interessante, eu tive a prova física das informações que eu tinha escutado na palestra. Na primeira vez eu me desafiei a ficar uma semana sem comer carne, mas sofri com o desejo de comer carne. Eu senti o resultado no corpo, mas assim que comi carne, perdi tudo aquilo que ganhei. Fiquei nesse conflito, enquanto não comia, queria comer, quando comia, queria não comer. Até que eu decidi não bloquear comer carne, evito o máximo,mas sem qualquer tipo de proibição", completou Túlio. 

Gabriella Braz corroborou com o discurso de Túlio e ressaltou que é completamente normal as mudanças que podem acontecer no início da dieta. "Pessoas que anteriormente tinham o costume de ingerir alimentos ricos em proteínas e gorduras de origem animal, ao iniciarem hábitos vegetarianos, podem sentir algumas mudanças. As alterações podem variar de indivíduo para indivíduo, porém, as mais comuns são: dores de cabeça, cansaço, irritação, perda de peso e até mesmo alteração do ciclo menstrual em mulheres. 

Tais alterações são normais, e fazem partede todo o processo adaptativo pelo qual o organismo estará passando, ou seja, o mesmo precisa se acostumar com um hábito que é totalmente novo e desconhecido.Ressalto que caso alguma alteração persista por um longo período, é necessário o acompanhamento com médico ou nutricionista”. 

Veganos e vegetarianos 

A nutricionista Gabriella, explicou também sobre a diferença entre veganos e vegetarianos,mas deixou claro que não existe apenas essas opções para aqueles que não querer comer carne. 

"Veganos, são pessoas que não consomem qualquer tipo de produto de origem animal ou que envolvam animais durante o seu processo. Trata-se de um estilo de vida, movido por ideais éticos. Ou seja, veganos além de não consumirem alimentos de origem animal, também não consomem roupas, cosméticos ou afins, que envolvam animais emsua fabricação. Já os vegetarianos, são pessoas que excluem apenas aqueles alimentos que são de origem animal, ou seja, seguem uma dieta na qual a carne é excluída, podendo consumir ou não ovos e leite. É importante ressaltar, que há vários leques de definições dentro do vegetarianismo, como: ovolactovegetarianos, lactovegetarianos e vegetarianos restritos".  

(62) 3095-8700