14 de novembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
Show
12/07/2018 | 06h00
Tim Bernardes e banda O Terno se apresentam em Goiânia
Músicos já se apresentaram nos Estados Unidos, na Alemanha, em Portugal e em várias partes do Brasil

SABRINA MOURA*

Tim Bernardes é músico, compositor, produtor musical e integra a banda O Terno. Nesta quinta-feira (12), o paulista se apresenta com o show de seu disco-solo, Recomeçar, no Teatro Goiânia. Já na sexta-feira (13), ele comandará os vocais e as guitarras juntamente com Guilherme d’Almeida (no baixo) e Biel Basile (na bateria) para O Terno estrear, em Goiânia, o disco Melhor do Que Parece.

Segundo Tim, O Terno começou ainda na época da escola, quando, junto a Guilherme d’Almeida, começaram a tocar músicas de bandas das quais eles gostavam. “A banda se tornou autoral e mais semelhante do que somos hoje, mais ou menos a partir de 2009, com a chegada do Victor Chaves na bateria. De lá para cá, tivemos o primeiro disco, o 66, de 2012 e o disco de mesmo nome da banda em 2014. Logo na sequência, veio a chegada do Biel Basile, deixando o grupo na formação atual: eu (Tim), o Gui e o Biel”, relembra Bernardes.

Dentre os vários shows, os músicos se apresentaram nã̃o só no Brasil, mas também nos Estados Unidos, no festival Brasil Summerfest, em festivais na Alemanha e em Portugal. Recentemente, eles se apresentaram no Lollapalooza Brasil 2018. “Ao perguntar para cada um de nós qual a apresentação mais marcante da banda, vamos ter opiniões diferentes por cada um possuir uma experiência pessoal e que marca por alguma razão”, afirma o vocalista. “Com certeza, esse último Lollapalooza marcou por vermos um público muito grande, cantando as nossas músicas. Foi algo realmente grande, um show bem caprichado, com todo o nosso repertório. Outro que foi bem marcante também foi o primeiro show no Teatro São Pedro, em Porto Alegre, onde foi iniciada essa nossa fase de um show com sopros”, completa,

Além dos meninos do O Terno, a apresentação da banda na Capital conta com o trio de sopros com Douglas Sousa (trompete), Cuca Ferreira (saxofone) e Douglas Antunes (trombone). “Os shows têm sido muito gostosos de fazer, especialmente depois que entraram os metais. Chegar a uma cidade nova, em que o show não foi mostrado ainda, especificamente uma cidade onde já tocamos antes, tem um público e que faz um tempo que não voltamos é algo empolgante”, afirma Tim Bernardes.

O show que será apresentado ao público de Goiânia tem, em sua maior parte, repertório do último disco, o Melhor do Que Parece. Tim conta que esse último trabalho não tem uma mensagem específica que o grupo estava a fim de transmitir; foi uma junção das músicas compostas por ele que teve uma maior conexão dos três, e completa: “Acho que, assim que ele foi surgindo, que conseguimos entender que ele tem uma mensagem, talvez e ainda que não premeditada, de um disco otimista, mais solar e que fala de questões internas da gente como jovens de 20 e tantos anos”.


Trabalho solo

Tim Bernardes se apresenta na Capital com o show de seu disco-solo, lançando o vinil do trabalho. No palco, ele estará sozinho: o ambiente, do quarto e do estúdio nos quais o disco foi concebido, está remontado. A iluminação é intimista, e a montagem permite que o artista se alterne entre guitarras e o piano de cauda.

O trabalho teve lançamento em streaming e CD, em setembro de 2017, e esteve nas principais listas de melhores do ano, consolidando Tim como um dos grandes compositores de sua geração. “Meu trabalho solo veio em um momento em que a banda estava com um pouco menos de shows na agenda, sendo tranquilo para realizar o trabalho. Desde o seu lançamento, eu tenho conseguido conciliar as agendas. Temos uma estratégia – tanto o Terno quanto minha em carreira solo – de fazer menos shows, fazendo serem mais caprichados, mais completos e com o melhor que podemos dar. Procuramos um ritmo saudável  – tanto para mim, para a banda e para o momento de criação”, explica Tim.

Fora do Brasil, o trabalho solo de Tim também recebeu reconhecimento, com críticas elogiosas nos veículos franceses Liberation e Le Monde. O artista criou uma unidade sonora, caminhos e assuntos que dão ao álbum uma sensação cinematográfica ou de uma grande peça com narrativa.

Segundo Tim, esse disco tem uma origem diferente dos discos da banda, é uma junção de músicas que todas tem uma mesma temática. “É um disco muito sobre amor, questões pessoais, desilusões e reflexões a respeito do tema. São músicas muito íntimas, guardadas por mim, durante muito tempo, por entender que elas davam certo umas com as outras, algumas delas meio melancólicas e tristes, mas todas colocadas de um jeito que tentam ver algo bonito, um possível recomeço”, finaliza ele.

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação da editora Flávia Popov


SERVIÇO

Show com Tim Bernardes – ‘Recomeçar’ 

Quando: quinta-feira (12)

Onde: Teatro Goiânia (Avenida Tocantins, nº 503, Setor Central – Goiânia)

Horário: 20h

Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada)

O Terno – com metais 

Quando: sexta-feira (13)

Onde: Teatro Goiânia (Avenida Tocantins, nº 503, Setor Central– Goiânia) 

Horário: 20h

Entrada: R$ 110 (inteira) e R$ 55 (meia-entrada) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)