Terça-feira, 25 de junho de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cidades

Patinetes devem ser regulamentados na Capital

Postado em: 15-04-2019 as 06h00
Atração que caiu no gosto dos goianos deve ser regulamentada

Higor Santana*

Os patinetes elétricos que desembarcaram em Goiânia em março, no setor Marista e Bueno, já caíram no radar do Departamento de Trânsito (Detran), que acusou que sua circulação não é regulamentada. Em Goiânia, segundo secretário de Planejamento Urbano, Henrique Alves, os patinetes não poderiam ser utilizados nas vias entre os carros, somente em ciclovias e ciclo rotas (até 20km/h) e nas calçadas, até 6 km/h. Mas nem sempre a regra é respeitada. 

De acordo com o Detran-GO, já existem previsões de reuniões para discutir sobre a possibilidade de regulamentação do patinete elétrico com a prefeitura. Está inserida no artigo 2º da Resolução 465/2013 do órgão, que estabelece a equiparação dos veículos ciclo-elétrico, aos ciclomotores e os equipamentos obrigatórios para condução nas vias públicas abertas à circulação. Segundo as normas, a circulação desses veículos é permitida somente em áreas de pedestres, ciclovias e ciclo faixas.

Ainda conforme a Lei, é preciso respeitar a velocidade máxima de 6 km em áreas de circulação de pedestres, e velocidade máxima de 20 km, em ciclovias e ciclo faixas. Segundo o órgão, o uso de indicador de velocidade, campainha e sinalização noturna dianteira, traseira e lateral devem estar incorporados ao equipamento.

Ainda de acordo com o Detran, existe uma cobertura de seguro em caso de acidentes. Mas a empresa responsável pelos patinetes recomenda um usuário por vez e o uso constante de capacete. Os patinetes elétricos, estão disponibilizados pelo aplicativo Grin, para Android e iOS.

Atração

Em março, moradores dos setores Marista e Bueno, passaram a poder contar com o novo modelo de transporte compartilhado. Os patinetes elétricos espalhados pelos dois bairros, funcionam a partir de solicitação por aplicativo. No início, foram disponibilizados 60 patinetes em locais privados com acesso público, como shoppings e supermercados, localizados nos dois bairros. Cinco dias depois, foi anunciada a ampliação dos serviços. A previsão é que vá agora para os setores Oeste, Sul e Alto da Glória.

Para alugar um dos aparelhos é necessário registrar o cartão de crédito no aplicativo, que cobra R$ 3 para o desbloqueio e primeiro minuto de uso, e mais R$ 0,50 por minuto. Apesar do preço elevado, várias pessoas aprovaram o novo meio de locomoção. 

Uma das características que agradou o público foi a quantidade de pontos disponíveis para solicitar e também deixar os patinetes. Diferente das bicicletas compartilhadas, os patinetes não têm um ponto físico para serem travados ao fim de cada viagem. Eles precisam ser deixados em estações virtuais informadas no aplicativo, que geralmente são locais como comércios ou shopping centers.

Segurança

Entre as recomendações da prefeitura estão o uso de capacete, permanecer nas ciclovias e ciclofaixas, apenas uma pessoa por vez no veículo, que as duas mãos estejam sempre no guidão e os dois pés na prancha. Contudo, há seguro para os usuários em caso de acidente.

O secretário Henrique Alves, alertou que os usuários do patinete precisam estar atentos às normas de trânsito. “Não pode andar na rua, pode andar nas ciclovias, ciclo rotas em até 20 km/h, e nas calçadas, onde o limite é de 6 km/h”, afirmou.

Mau uso

Uma denúncia anônima mostrou alguns estudantes usando o veículo de forma inadequada. Na ocasião, os jovens uniformizados, apostavam corridas e faziam manobras perigosas com os patinetes. De acordo com a Secretaria Municipal de Trânsito (SMT), as regras para o uso dos patinetes compartilhados são as mesmas para o uso de bicicletas. A empresa Grin, tem no site uma série de recomendações para o uso do veículo.

As principais recomendações são ter mais de 18 anos de idade, usar um capacete, ter apenas um motorista por patinete, não ficar nas calçadas, apenas o proprietário da conta pode usar o patinete, não bloquear rampas nem travessias de pedestres, seguir as regras de trânsito e manusear o patinete com cuidado.

Além das regras, a empresa também dá dicas de segurança para a utilização. Entre elas estão descer do patinete para transitar em elevações, evitar buracos, não fazer manobras arriscadas, manter os dois pés na prancha enquanto estiver em movimento, manter as duas mãos no guidão e não usar o celular enquanto estiver em movimento. (Higor Santana é estagiário do Jornal O Hoje sob orientação do editor de cidades Rhudy Crysthian) 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar