22 de março de 2019 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.EUR.valor | number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Conscientização
11-01-2019 | 06h00
Números de infrações de trânsito caíram em 2018 em Goiás
Excesso de velocidade ainda lidera ranking das infrações cometidas no Estado

Isabela Martins*

Os números de infrações de trânsito caíram em 2018 em Goiás. Com queda de 8,2% em relação ao ano anterior, passando de 3,21 milhões para 2,94 milhões. Na Capital os números são diferentes. Goiânia registrou 1,01 milhão de infrações contra 919 mil em 2017, um aumento de 10,17%. O levantamento feito pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-GO), considera as notificações feitas por agentes autuadores das Policias Militar e Federal, Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Secretarias Municipais de Trânsito (SMTs) e Detran.

A infração mais cometida no Estado é o excesso de velocidade. Dos condutores flagrados 1,53 milhão foram trafegando a cima do limite da via, 315,78 mil em velocidade de 20 a 50% a cima do limite e 53,53 mil a cima de 50% do limite estabelecido. 

Dirigir sem ligar os faróis nas rodovias durante o dia autuou 330,33 mil condutores. Os motoristas foram multados com o valor de R$ 130,16 e tiveram quatro pontos na carteira de habilitação. 

Outra infração comum dos goianos é a falta de cinto de segurança. No ano 114,3 mil condutores foram notificados pela falta do uso do cinto. Cerca de 100 mil motoristas foram flagrados avançando o sinal vermelho ou a sinalização de pare. As duas infrações são consideradas gravíssimas e rendem sete pontos na carteira, além de multa. Aparecendo em último no ranking das infrações mais cometidas está transitar em faixa exclusiva para ônibus com 46.585 autuações. 

Perigo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o aumento de 5% na velocidade amplia em cerca de 10% a probabilidade de acidentes envolvendo lesões e de 20 a 30% as colisões fatais. O risco de um pedestre atingido por um veículo a menos de 50 Km/h morrer é de 20%. Mas a chance do acidente ser fatal sobe para 60% caso o condutor do veículo esteja a 80 km/h.

O valor da multa por excesso de velocidade varia de R$ 130,16 a R$ 880,41 dependendo da velocidade, além de receber quatro pontos na CNH, se estiver a 20% acima do limite. Perde cinco pontos se trafegar entre 20 e 50%; sete se a velocidade for superior a 50% do limite. O motorista também responderá o processo administrativo que pode levar a suspensão da carteira.

Em dezembro um motorista foi flagrado trafegando a 184 km/h em um trecho da BR-060, em Terezópolis de Goiás. O condutor cometeu infração gravíssima com multa de R$ 880 e mais sete pontos na carteira. 

Aumento 

Na contramão do Estado, Goiânia registrou um aumento de 10,17% no número de multas.  No ano passado foram mais de um milhão de autuações a maioria delas por excesso de velocidade (54%). Depois aparece o atraso na transferência do veículo (55.091), seguidos de avanço do sinal vermelho (42.169) e transitar em faixa exclusiva para o transporte coletivo (41.368).

A falta de espaço para estacionar em locais públicos apareceu na lista de infrações da Capital. Mais de 24 mil condutores foram flagrados estacionando em calçadas, próximos a canteiros centrais, faixas de pedestres e outros locais proibidos. Outro problema é o uso de celular enquanto dirigi que gerou mais de 16 mil multas, seguidos da falta do cinto de segurança com 15.593. 

Em 2017, uma das infrações mais cometidas em Goiânia foi não deixar o farol baixo aceso durante o dia, registrando mais de 800 mil multas, esse número caiu para 36.816 autuações no ano passado. Outro aumento sentido na Capital foi o número de veículos nas ruas. A frota de Goiânia passou a ter 126,4 mil veículos a mais em 2018, subindo para 1,21 milhão de automóveis e motocicletas. (Isabela Martins é estagiaria do jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crythian) 

(62) 3095-8700