14 de novembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Preocupação
10/07/2018 | 18h00
Tecnologias em Goiás oferecem alternativas para economizar água
Medidas de preocupação com o consumo e o desperdício de água estão sendo tomadas para evitar uma crise hídrica

 Danilo Cunha criou uma solução composta por estações de tratamento que reduz em até 98% os contaminantes da água. (Foto: Internet)

Da Redação 

Depois que a  Saneago - Companhia de Saneamento de Água e Esgoto de Goiás – divulgou um alerta sobre a possibilidade de desabastecimento em mais de 60 cidades goianas, durante o período de estiagem em 2018, aumentou a preocupação com o consumo e o desperdício de água. A Companhia informou que está monitorando as nascentes com níveis mais baixos, perfurando e interligando novos poços, e adotando outras medidas para tentar evitar uma crise hídrica, como ocorreu em 2017, mas solicitou que a população consuma de forma  consciente.

Tecnologias desenvolvidas em Goiás estão auxiliando na economia de água, desde o percurso até as torneiras, até a reutilização em várias atividades, como limpeza de prédios, veículos, lavanderias e até nas fábricas de cerveja.

O engenheiro e professor Danilo Cunha criou uma solução composta por estações de tratamento que reduz em até 98% os contaminantes da água, inclusive do chorume – a água proveniente do lixo. O sistema foi testado no Aterro Sanitário de Aparecida de Goiânia.

A engenhoca é ínovadora em relação a outras similiares, pois trata-se de uma estação compacta, que não precisa de grandes espaços para ser instalada, atendendo às necessidades de cada usuário.

A solução nasceu na incubadora de ideias e startups da Aldeia do Centro Educacional UniAnhanguera, antiga Faculdade Anhanguera de Goiás, e está apta a promover uma economia que daria para abastecer uma cidade como Goiânia durante 5 dias.

O vídeo-monitoramento de rachaduras e vazamentos em tubulações também produz bons resultados.A tecnologia, criada pelos engenheiros Rauhe Abdullamid, Danilo Sulino e Yi Lun Lun, permite inspecionar e mapear tubulações durante manutenções preventivas e corretivas.O sistema é composto por um robô de inspeção e um software.A solução ajuda a reduzir o desperdício de água tratada no Brasil que anualmente chega a 37% conforme relatório publicado pelo jornal Folha de São Paulo.

O projeto é vinculado ao CEI – Centro de Empreendedorismo e Incubação da UFG, que apoia ideias e startups  e, recentemente, venceu o prêmio CREA de Meio Ambiente na categoria Novas Tecnologias. 

Tópicos:  Crise,   Água,   Saneago,   Tecnologia,   Prevenção,   Hídrica

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)